Poesias

Sei não

Observo o sol?

Ou percebo o vento?

Olho os pássaros?

Ou vejo as arvores?

Escondo do calor na sombra do concreto?

Ou procuro o refresco da natureza celeste?

Atento ao transito?

Ou encontro pessoas?

Abro meu peito e me jogo ao futuro?

Ou escondo minha face e vivo o lamento?

Fico sujeito à vida?

Ou vivo no virtual?

Alimento meu corpo?

Ou dou vazão ao meu espirito?

De certo possuo opções, que possibilitam viver e crescer.

Ou escondo e fujo para tentar não sofrer?

Mais e se o sofrer é uma benção, pois me ensina a viver?

Ou esqueço a vida e somente espero morrer?

Mais se sei que a morte não existe, melhor a vida continua!

Sei não, saber acho que não é o mais importante, importa mesmo é o decidir.

Coragem, força e fé.

Porque senão?

Sei não!

Sergio Araujo

26/01/2017

Que sejamos capazes de enxergar coisas boas em cada momento ruim que nos acontecer

De que vale as quedas.
Senão nos ensinar a levantar.
Para que são feitos as desavenças.
Senão nos ensinar a perdoar.
Qual o valor de uma mágoa.
Senão nos ensinar a compreender.
E quando somos injustiçados
Senão nos ensinar e ter empatia.
Levanta tua cabeça.
Olha a natureza a sua volta.
Agradeça estar vivo.
Bem aventurados os que sofrem.
Eles serão consolados.
Mesmo quando tudo parece dar errado.
Nada é por acaso.
E mesmo quando o desânimo abater.
Lembre de que tudo está bem.
Vivemos cada dia como se fosse o último.
Recordamos cada dificuldade como se fosse a única.
Esquecemos das maldades que fazemos como se fossemos perfeitos.
E queremos crucificar o nosso próximo pelo menor erro que cometa.
Nada nesse mundo é perfeito.
Somente Deus.
Então seja mais tolerante consigo.
Mais amoroso com todos.
Mais caridoso com quem erra.
Mais amigo de quem acerta.
Mais amor e menos dor.
A vida encarrega de ensinar o caminho.
Mais as curvas que existem.
Quase todas são feitas por você.
A tranquilidade que esperas.
Não vem do acaso.
Antes precisa ser plantada ao longo da estrada.
E mesmo quando tudo parecer sem solução.
Pergunte a você mesmo.
Já viu o vento parar de ventar? 

Sergio de Araujo

25/01/2017